quarta-feira, 28 de julho de 2010

O SEQUESTRO AMIGO

Talvez Joanna Lyvia não se desse conta o que exatamente era morar em São Paulo. Porque para ela os dias seguiam iguais, por mais, que os jornais noticiassem todos os dias tragédias. Tudo era uma realidade bastante distante que pertencia só ao Datena, Cidade Alerta e esses programas sensacionalistas do mundo do crime.

Estava saindo do seu trabalho e como de costume seu amigo, Jacinto Leudimar, ofereceu-lhe carona. Moravam próximos e a conversa no carro ajudava a aliviar a tensão do trânsito.

Tudo transcorria tranqüilo como sempre, até o farol de uma rua um tanto quanto deserta fechar... Foi quando o carro deles foi abordado por dois homens.

E, desde então, foi uma sucessão de gritos e susto.

- Vá pra lá, vá pra lá, passa pra trás, passa, eu te desço berro maluco, faz o que eu to mandando, faz logo porra!

Praticamente jogaram Joanna Lyvia para o banco de traz, e enquanto um tomava a direção do Jacinto Leudimar, o outro se posicionava ao lado dela.

- Ae, irmão, a parada é a seguinte, a gente só que dinheiro falow? Não quero machucá ninguém, não queremo nada alem de grana, firmeza?

Enquanto o que dirigia falava, o outro já estava a mexer na mochila de Joanna Lyvia.

- Ah mas perae, meu brother, olha isso aqui – tirou de dentro da mochila um monte de maquiagens e um perfume novo. – Mas minha neguinha vai ficar muito cheirosa desse jeito. Qual é tua graça moça?

- Joanna Lyvia. – Ela falou num fio de voz com muito medo de tudo que estaria por vir.

- Então Joanninha, a parada era essa memo, só queríamos grana, mas não vai dar pra ficar vacilando com esses podrutos aqui né não? Minha nega vai ficar é feliz hoje. É hoje que eu me dou bem Farinha.

- Hey, levem logo o dinheiro só libera a gente...

- Calma ae, irmão, vamo saca o dinheiro lá nas quebrada, ta achando que a gente é otário??? Vai tirar o dinheiro na frente de bacana??? Calma ae. Tamo de boa aqui, ninguém vai machuca vocês. A gente só ta fazendo nosso corre, segunda-feira temo que dá 30 mil pau pros coxinhas mano. Ta achando que é brincadeira? O baguio é doido rapá. Se não moía a mão dos homi eles pega nois de novo.

- Vocês vão pagar a policia para ficarem livres? – Joanna Lyvia não conteve a pergunta

- Manow cê é loca? Aquilo lá é podridão veio. Quem não faz o corre acorda com formiga na boca! Se acha memo que a gente gosta dessa vida? Mas emprego a gente não arruma sendo que já fomo cadeiero, e aí? A neguinha ta La em casa esperando pra dar de come pros muleke, manow.

O outro só ouvia e se dirigia em silêncio para a “quebrada”, até que resolveu falar.

- Seguinte, nois não é ruim, ta ligado? Ruim é o sistema. Ruim é o governo que não da oportunidade pra quem que trabalha, se você tem dinheiro você trabalha, se não tem, você se fode. Nois ta no corre por isso ae. E olha só, vocês não podem fazer isso aí que vocês fizeram. Fica vacilando em São Paulo, manow? Ta louco? Não pode da uma brecha dessa. Eu, por mim, nem queria leva a grana de vocês, tão aí de boa, não reagiram, mó parceria de confiança, mas vocês entendem nosso corre né? Se vacilar, a gente tem que abordar a vitima memo. Faz aquela cara de mano mau e vamo que vamo. – Neste momento ele fez a cara idêntica da aborgem.

- Pode crer... A globo ta de perdendo heim? – Jacinto Leudimar pensativo acabou concordando distraido. E recebeu um sorriso satisfatório do ladrão.

- Como parceria de confiança? Vocês estão nos roubando! Não posso confiar... – Joanna Lyvia ainda era sã.

- Poxa, faz sentido... – O ladrão ao seu lado também concordou distraído.

A conversa transcorreu ainda por mais uns 40 minutos. Contaram como eram feitos os crimes, a forma de abordagem, da “neguinha”, dos “muleke”, de como foi na cadeia... Até que chegaram ao caixa, pegaram todo o dinheiro que tinha na conta deles, se despediram recomendando-os para não vacilar mais. E ainda na despedida, lamentou-se:

- Pena que a gente se conheceu nessa pegada, porque se não irmão, agente seria até brother heim.

7 comentários:

bre disse...

fala sério... seria cômico se não fosse trágico!

sampa, a cidade do bagulho frenético!ja diziam...

Ari Meireles disse...

Meu da uma comédia das boas, mas é triste pq até aqueles q deveriam nos proteger não vale nada.

Felipe "Dero" Silva disse...

Tipow Manow...A parada é ficar na contenção dos manows e praticar no corre. Nois num qué fazê mal, mas o corre é o sustento tá ligado?
Faz assim, tipo pique ligeiro, zarpa fora. Tá vendo essa cidade aqui bacana? Ela é linda...mas como todo ser humano, tem sua podridão.

Franclim disse...

è euque moreiem sampa alguns anos, fui vitima de assalto, e éporai mesmo...quemdeveriacuidar da gentecoageos vagabundospara eles poderem " trabalhar" livres,é umavergonha nacional isso...

Juliana Aidar disse...

como foi dito, 'seria cômico, se não fosse trágico!'

beiJUcas

Erika disse...

é assim mesmo, morro de medo disso, e a gente acha q nunca vai acontecer e quando menos espera...
Passei por aqui Lii e adorei os contos :D
beeijão! saudades

Anônimo disse...

Muito interessante! Li vc sempre manda mt bem, Tá ligado!