quarta-feira, 29 de julho de 2009

.

A CLIENTE

Trouxa.

Isso mesmo. Simples assim. Se você não é patrão, você é trouxa. O trouxa preferido do cliente inclusive. Porque este, ao modo peculiar e carinhoso dele, ele te ama. E não te larga. Nem que você queira.

Odinovaldo Artur era mais um desses assalariados com muitos sonhos de crescer na vida, porém, a única possibilidade que conseguia enxergar no momento era de crescer a barriga das cervejas que bebia para esquecer.

O relógio marcava 09:05hs. Mas você acha que seu Outlook se importa com isso? Que você ainda mal acordou e não tomou sua primeira (de muitas!) xícara de café do dia. Não, ele desdenha de você e em vez de bom dia, te diz “Recebendo 87 mensagens”. Tirando os 56 spams, 3 e-mails que seu colega ao lado que acha que são engraçados, 4 memorandos da empresa, o resto era de Ederlene Cristina, A Mala. Salve salve.

Ederlene Cristina era a típica cliente, que ao pedir o orçamento era simpática e te chamava de amor. Você quase tinha impressão que era tão sua amiga que a qualquer momento lhe pediria seu Orkut, twitter, facebook ou qualquer coisa que valha.

Mas depois, meu caro amigo, ahh depois... Só Jesus e Odinovaldo Artur saberiam descrever.

Pense em um layout pronto. Orçamento fechado. Detalhes acertados! E então, o barulho estridente do telefone soando:

- Alô, deixa eu falar com o Odinovaldo? (Sendo que ela sabe muito bem, que é ele quem atendeu, por ser seu ramal direto). Odinovaldooo (Pense, numa voz de travesti taquara rachada), eu tava olhando, não entendi por quê daquele detalhe no final, não queria assim (sabe aquele detalhe que você já explicou mil vezes que não HÁ uma possível forma terráquea de fazê-lo de outro jeito?). Ah e outra coisa Odinovaldoo, vamos ter que refazer os custos, meu diretor não aprovou (então, por favor, faça um desenho em três cópias do que quis dizer aquele “OK” no último email com orçamento enviado.). Odinaldo (Sim, cliente sempre troca o seu nome em um momento ou outro) mas hoje ainda ta pronto né? Preciso disso, querido! (Sim, clientes têm mania de achar que você tem a máquina do tempo e fará tudo solicitado “ontem”). Ah porque assim não dá quando eu pedi o orçamento eu dei os detalhes (Ah, mas é claro que deu, e os mudou, um por um, zilhões de vezes), preciso disso pronto! Meu diretor ta me cobrando ( E fala, fala, fala...) nosso cliente ta em cima de nós (se falasse menos, daria mais tempo de você trabalhar...), já me fez um monte de pergunta, e não sei não heim, não ta como ele me pediu (claro que não esta! Ela muda tanto, que nem sabe mais como o cliente dela pediu!).

Odinovaldo Artur desligou e a falação foi tanta que ele mal se lembrava da primeira recomendação. Ederlene Cristina tinha o especial talento de desconcentrá-lo. Além do seu talento de lhe causar dor de cabeça. E seu talento de fazer seu tempo não render. Ah, com toda certeza, a Ederlene Cristina era uma mulher de muitos talentos... Então, com tantos talentos porque ela mesma não fazia tudo, PQP (com o perdão da palavra)?

E o dia transcorria nesta “punhetação”, Odinovaldo Artur, se desculpava pelo palavreado mais uma vez, mas a esta altura onde ele tinha sido obrigado a engolir um sanduíche sem mastigar devido ao pouco tempo, por causa das exigências estapafúrdias de Ederlene Cristina, os escrúpulos que fossem as favas.

Assim depois de um dia inteiro de mil e-mails. Telefonemas insistentes. Perguntas idiotas. Respostas sob alguns sapos de Itú (SP) engolidos. Odinovaldo Artur olha no relógio e vê marcado às 18 horas cravadas. Sente pena de si mesmo. O horário é só ilusão, pois, como numa rotina sem fim ele tem a certeza que o telefone vai tocar, e Ederlene Cristina vai solicitar algo inadiável, para já, para ontem mais uma vez, que isso irá salvar os problemas do mundo se resolvido agora... Pois é claro, para a cliente Odinovaldo Artur não tem casa, dorme no trabalho. Não tem vida, a não ser que seja em função dela.

10 comentários:

Pato, seu querido pato.. disse...

boaaa isso mesmo!!

Ari Meireles disse...

Tb com esse nome não da...hahahahaha
Mas quem ja n]ão teve uma Ederlene Cristina para "aporrinhar" as idéias.
Fala sério da vontade de gravar elas falando e faze-las ouvir todas as vezes q ela mudou tudo, e ver que o problema de não ser aprovado foi ela mesma mexendo onde não devia...é um saco mesmo.

João M disse...

De vez em quando vem alguma Ederlene Cristina por aqui, felizmente são poucas (ou poucos).

Beijo

Fábio disse...

Meu! Não trabalho no comercial, não trabalho no help desk, mas mesmo assim tenho vaaaarias Ederlenes que me aporrinham, não por orçamentos, mas por solicitações técnicas absurdas que toda hora mudam! E perguntas sem pé nem cabeça!!! O que acaba de acontecer neste exato momento! ¬¬
Beijão Li!

Sebastián disse...

Ai ai ai Aline, se vc soubesse pelo que eu tenho que passar! Maldito seja o dia que para a Arte ,(embora sobre gostos Kant se matou escrevendo, e ainda se fala que não tem nada escrito) não formataram umas "Normas ISO-0000 e alguma coisa".

Bem ainda que este cliente atual por enquanto é uma amor e ja estamos na época de entrega!, mas ja pasei por alguns que neeem vou te contar!

Mas como diz um velho ditado:

"O CLIENTE SEMPRE ESTÁ ERRADO"

Tenho um imã na geladeira com essa frase haha!

Sebastián disse...

O melhor de tudo é o conforto de saber que não estou só nesta!

Juliana Aidar disse...

Pois é, lidar com pessoas é assim, pra que simplificar se pode complicar não é mesmo ?
Os nomes perfeitos haha

beiJUcas

um homem disse...

Cara, fala pro Odinaldo pedir as contas, e começar a fazer terapia..ou fazer muita Yoga e entender o q esta mala estpa tentando lhe dizer..a hora q ele sacar a dela, vai transcender essa mala, e está pronto para a próxima mala.

Ariane disse...

Troca de emprego.

Faz alguma coisa que te traga prazer pra ganhar dinheiro se divertindo.

Massss se este emprego te faz feliz não reclama.

Anônimo disse...

gostei mto do seu texto, bjs

obs.: gostei da foto do texto seguinte.

Ass.: Vc sabe quem.