quarta-feira, 12 de agosto de 2009

.


A CASA DOS HORRORES (Vulgo, loja de celular)


A sensação que tinha é que se preparava pra guerra. E um leve mau humor já começava a pairar no ar. Afinal, quem gosta de entrar numa loja de telefonia celular? Mas ainda assim lá foi ela, munida de muitas armas: RG, CIC, comprovante de residência, nota fiscal do aparelho, última conta paga, e a calcinha vermelha. Sim, sua calcinha da sorte.

Logo que Agatha Marianny entrou na loja já se deparou com a típica situação... Um rapaz nitidamente alterado gritava ao telefone:

- Meu nome é Jesse James!!! Jesse James!!! Jota-e-esse-esse-e E E E!!! Minha filha, eu não quer que eu passe por esse celular e vá te fazer usar um cotonete, não é? Você já perguntou meu nome mil vezes e resolver meu problema que é bom, neca de pitibiriba!

Agatha tentou ignorar o primeiro de costumeiros surtos dentro de uma loja como essa. Se dirigiu a primeira funcionaria livre e perguntou:

- Moça, por favor...

- Senhora, já pegou a senha?

Ela respirou fundo, olhou a maquina de senha na entrada da loja desanimada, primeiro sinal que não seria nada fácil mais uma vez. De novo. Novamente foi ela então buscar seu passaporte para irritação!

Sentou, e começou a observar o Jesse James, ele ainda berrava, mas desta vez é de que não queria mais falar com nenhum atendimento eletrônico, e sim com pessoas que falavam, respiravam e tinham coração. Além de preferência ser supervisor.

Neste momento, Agatha Marianny teve a idéia de perguntar apenas, se eles saberiam já resolver seu problema e se valeria ficar esperando. Resposta que ela, nu fundo, bem intimamente já tinha.

- Por favor?

O atendente sem nem olha-lá:

- A senhora já pegou a senha?

- Sim, já peguei, mas só quero saber se tem o que eu quero, porque senão nem fico. Queria saber se tem chip virgem para eu colocar meu número antigo, roubaram meu celular.

- A senhora já bloqueou sua linha? Caso não tenha feito, é só ligar dali do telefone, quando aquele moço terminar de bloquear a dele. Teve medo de olha-lo, mas o fez. A sensação que teve foi de uma caveira encostada na parede, com algumas teias de aranha, insinuando que estava ali há muito e muiro tempo.

Neste instante, entra na loja um senhor de cabelos grisalhos, porte grande, terno bege e um lenço Flamboyant , como todos, vai ao primeiro atendente:

- Meu querido, por favor, eu queria...

- O Senhor já tem a senha?

Eu, Jesse James, o Sr. Caveira e a outra atendente apontamos para a máquina na porta da loja.

O senhor visivelmente contrariado pega o papel quase com nojo e em seguida dispara a falar:

- Mas eu só quero um telefone! Quero um telefone fácil ! Bem fácil! E só para comprar um telefone simplesinho. Por favor, é só um telefone, vocês tem um telefone para que eu só possa ligar? Só um momentinho para me atender, não quero um telefone com muitas coisas! Aqui tem toilette ? No momento eu só quero um toilette! Deixa eu ir no toilette! Porque uma loja bonita tem que ter toilette! Vou ter que esperar mesmo, então, só preciso ir no toilette! Alias, eu sou idoso! Vocês não tem preferencial ao idoso? Ahhh mas eu só precisava de um telefone.

Enfim, mediante ao caos que começava se instalar na loja, Agatha Marianny pegou sua bolsa, juntou no corpo e marchou para fora. Um pré-pago qualquer em uma loja de departamentos resolveria seu problema.

5 comentários:

Juliana Aidar disse...

pra que simplificar se pode complicar não é mesmo, mas cada vez que ouço essa história choro de rir, óteeeeeeeeeeeeeeeeeema

(primeiraaaaaaaaaaaa a blogar) ( lembra da briga pra ser 1°?) haha

beiJUcas

Ariane disse...

EU JA PASSEI POR ISSOOO.....

Quem disse que com a tecnologia que hj existe, com a globalização aonde tudo fica mais pratico e assim o atendmento nas lojas ditas modernas está melhorando é pq NUNCA ENTROU NUMA LOJA DE CELULAR NO BRASIL!

Este texto é real me deixou estressada...

Johnny disse...

mas pra tudo tem treinamento
dá uma olhada neste video de treinamento para Telemarketing

http://www.youtube.com/watch?v=jM7Ae6DVOfs
de chorar de rir

Beijo.

Johnny

Felipe "Dero" Silva disse...

Mude pra Oi!

Ari Meireles disse...

hahahaha.... e não é só em loja de telefonia que isso acontece em hospital particular tb...hahaha